Atendimento Individual e Coletivo

Atendimento Individual e Coletivo

Que o ser humano é uma criatura complexa, não há discussões. Segundo Limongi-França (2004) esta complexidade está alinhada ao conceito do “ser biopsicossocial”. Em outras palavras, para se entender o homem é necessário um alto grau de compreensão nas esferas física, psicológica e social.No ciclo normal da vida, o ser humano nasce no seio de uma família, cresce e se desenvolve seguindo os critérios mencionados acima. Por exemplo, aos três anos de idade, a criança é inserida no convívio escolar, espaço este que proporciona subsídios para ampliação das relações sociais com os novos colegas e educadores. E desde aquele momento, a pessoa é envolvida em situações diferentes que até então não eram do seu costume.

Com o passar do tempo, essas relações sociais se ampliam e o entendimento do mundo também e, dentro desta perspectiva, o desenvolvimento deste ser humano agrega novas formas de pensar, agir, comunicar e conflitar seus anseios e desejos no mundo que o cerca.

No entanto, paralelamente à metamorfose sofrida por ele, há imposições de regras, padrões, leis, normas e diretrizes que, por muitas vezes, são rejeitadas e questionadas. Esta não aceitação gera o conflito. E quais são os motivos destes conflitos? A resposta é simples: as pessoas são diferentes e os interesses também são diferentes. Cada ser humnao detém um unico modelo cultural e passa por experiências únicas.

Quando o homem junta esforços com outros homens surge a organização. O homem é um elemento multiorganizacional que continuamente vê-se afetado por várias organizações e, ao mesmo tempo, a influencia.

O homem é mais do que um ser vivo. Através das organizações ele consegue ampliar suas aptidões, aproveitar melhor as habilidades e os conhecimentos de cada um, a fim de satisfazer suas necessidades básicas, emocionais e espirituais. O homem é um ser que produz e para isso se associa. A organização corresponde a uma associação de homens e uma coordenação de esforços.

O melhor caminho é o entendimento de ambos os lados, seja ele no campo político, cultural, sociológico ou psicológico.

Há técnicas de treinamento e desenvolvimento de pessoas, pesquisas e diagnósticos organizacionais que podem auxiliar na compreensão destas necessidades e no equilíbrio das mesmas para uma convivência harmoniosa entre aqueles os colaboradores.

Eis a difícil missão. Mas se cada um ceder de uma parte haverá grandes possibilidades de consentimento e harmonia. Afinal, são pessoas que regem as instituições e isto não tem como mudar.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.